domingo, 20 de janeiro de 2013

BLITZ DA LEI SECA RECOLHE 7 CARTEIRAS E REBOCA 4 VEÍCULOS



A operação foi realizada em local estratégico, no alto da Rua Monsenhor Bacelar: sete motoristas punidos./Foto: Marco Oddone.
Na madrugada de ontem, sete motoristas perderam a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) e quatro veículos foram rebocados em blitz da Lei Seca, realizada, pela primeira vez, no Centro Histórico. O comandante do 26º Batalhão da Polícia Militar, o tenente-coronel Rubens Peixoto, avisa que a operação acontecerá mais vezes e com maior regularidade no município. “É importante que a operação continue ocorrendo na cidade, para que o motorista se torne mais consciente. Desde que assumi o comando do batalhão, em maio do ano passado, tinha a intensão de trazer para Petrópolis a operação. Me vali da relação próxima que tenho com Major Marco Andrade, comandante geral da Operação Lei Seca, e ele conseguiu a viabilidade técnica para realizá-la aqui”, explica o comandante do 26º BPM.
A blitz teve início no final da noite de sexta-feira, seguiu até a madrugada de ontem, e ocorreu em dois pontos. Duas equipes, formadas por agentes da Secretaria estadual de Governo e PM’s do 26º BPM, foram postadas nas ruas Nelson de Sá Earp e Monsenhor Bacelar. Em pouco mais de três horas de operação foram 126 motoristas foram abordados, 111 testes com o etilômetro foram aplicados e 28 receberam multas. Sete condutores tiveram a carteira de habilitação recolhida por dirigir alcoolizado e quatro veículos foram rebocados. Dois condutores sofreram sanções administrativas e um sanção criminal.
De acordo com o tenente-coronel Rubens Peixoto, nenhum motorista resistiu à abordagem. “Tivemos uma operação muito tranquila. Caso algum motorista tivesse oferecido resistência, seria encaminhado à 105º DP, no Retiro, o que não foi necessário”. O comandante da Polícia Militar diz que em Petrópolis, pelo menor número de motoristas, é natural que sejam mais tranquilas as operações, mas ele destaca que “os motoristas da cidade são mais conscientes do que na capital”.
O comandante do 26º BPM explica que coube a PM de Petrópolis orientar o comando estadual à respeito da escolha do local para a operação e que o Centro Histórico foi alvo da fiscalização devido à grande concentração de bares. “Na região que escolhemos temos muitos bares e relatos de motoristas que saiam desses bares e dirigiam alcoolizados. Ainda nesse período, no verão, os bares tem ficado abertos até mais tarde - uma, duas horas da manhã - por isso, decidimos realizar a blitz nesse horário”, destaca o tenente-coronel.
As novas regras da Lei Seca se tornaram mais rígidas. Antes, apenas o teste do bafômetro poderia servir como prova para incriminar o motorista, que tinha o direito de se recusar a fazê-lo. Se se recusasse, não se podia fazer nada. Agora não; vale também a experiência do agente para constatar que, se o motorista desce do carro cambaleando, e sem condições de ficar em pé, está alcoolizado.

Vinícius Ferreira
Redação Tribuna
TRIBUNA DE PETRÓPOLIS

Nenhum comentário:

Postar um comentário