sábado, 10 de dezembro de 2016

Semana deve começar com chuva em Petrópolis

A aproximação de duas frentes frias preocupa meteorologistas no que diz respeito ao tempo na próxima semana no Sudeste. A primeira frente vai passar pelo oceano, mas reforça a instabilidade que, somada ao calor excessivo e tempo abafado desses dias, pode provocar pancadas de chuva com trovoadas, ventos e ocasional queda de granizo.

Além disso, no início da semana, a partir de terça-feira, uma segunda frente fria deve reforçar a umidade, podendo reduzir as temperaturas na região. A alta umidade trará bastante chuva.

O acumulado em cinco dias pode chegar aos 200 milímetros, segundo previsão estendida do Climatempo. A temperatura pode até cair um pouco no Centro, mas na região dos distritos o calor continua.

A máxima, que chegou a atingir 35ºC em Itaipava no sábado (10), cai para 30ºC neste domingo, e para 25ºC na segunda-feira. Mas o tempo continua abafado, e favorecendo a condensação da umidade acumulada.

quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

Burger King vai inaugurar loja em Petrópolis


A rede de fast food Burger King vai inaugurar sua primeira loja em Petrópolis. O estabelecimento vai ficar na Rua do Imperador e o local já está passando por reformas. O endereço exato assim como a data de sua inauguração não foram informados pela assessoria de imprensa da loja.

O Burger King é uma rede de lanchonetes norte-americanas, fundada em 1954, na Flórida, Estados Unidos. Atualmente a rede é conhecida por disponibilizar refrigerantes em refis ilimitados por um determinado intervalo de tempo. No que diz respeito à serviço, a lanchonete é semelhante a concorrentes como Mc Donalds e Bobs.

A nova loja deve começar a funcionar no início do ano.

terça-feira, 6 de dezembro de 2016

Governo inicia intervenção de grande porte na Rua Uruguai

A Prefeitura de Petrópolis deu início nesta semana às obras de resposta ao desastre da Rua Uruguai, no Quitandinha. Após uma série de estudos técnicos no local, cerca de 15 trabalhadores da empresa Erwil, contratada emergencialmente pelo município, já operam na via com escavadeira e marteletes. Nos próximos dois meses, serão realizados o desmonte e a retirada das pedras; a construção de um dique para que funcione como um “colchão”, amortecendo outras rochas que vierem a se desplacar do maciço rochoso; e a limpeza e a desobstrução da via.

As intervenções são possíveis devido ao decreto municipal de situação de emergência, do dia 15 de novembro, reconhecido pelo Ministério da Integração Nacional no dia 23 de novembro. Em função desse reconhecimento, o Ministério da Integração Nacional autorizou nesta terça-feira (6/12) o repasse de R$ 907.299,38 para as ações de resposta ao desastre da Rua Uruguai.

“O início das obras na Rua Uruguai mostra a rápida resposta que conseguimos dar ao desastre do último dia 14. Essas intervenções são fruto de muito trabalho nessas últimas três semanas. Foram vistorias e estudos técnicos que definiram quais seriam as intervenções necessárias. Além disso, estive em Brasília no dia 16, dois dias após o desastre, para pedir apoio do governo federal para a resposta às chuvas na cidade. E menos de três semanas depois de me reunir com os ministros da Integração Nacional, Hélder Barbalho, e das Cidades, Bruno Araújo, recebemos a notícia da autorização do repasse de recursos federais para essas intervenções”, disse o prefeito Rubens Bomtempo.

A previsão é que essa primeira etapa, de limpeza, desobstrução da via e construção do dique, dure até 60 dias. A etapa seguinte será uma obra de grande porte para contenção da encosta, que será realizada por meio do PAC Encostas. “Desastres como o que ocorreu na Rua Uruguai exigem do poder público intervenções de grande porte. Mas, para isso, é preciso que todo o Sistema de Defesa Civil atue, não só o município. E esses recursos federais serão fundamentais para darmos uma resposta concreta ao que ocorreu, como pedem os moradores”, disse o secretário de Defesa Civil e Segurança Pública, Rafael Simão.

Desastre – Na noite de 14 novembro, um desplacamento de cerca de duas toneladas de rochas a 200 metros de altura destruiu três casas, deixando dois mortos. O desplacamento ainda atingiu outras duas casas e destruiu um trecho da via.

Um trecho de 100 metros da rua segue isolado, com os moradores em casas de parentes. A definição de quais casas serão interditadas definitivamente e quais serão liberadas será realizada ao término de estudo da Defesa Civil, em conjunto com o Serviço Geológico do Estado do Rio de Janeiro (DRM) e o Serviço Geológico do Brasil (CPRM).

Justiça determina bloqueio das contas da Prefeitura para pagar 13° dos servidores

A Justiça determinou no fim da tarde de hoje o bloqueio das contas da Prefeitura de Petrópolis para garantir o pagamento do 13° salário dos servidores do município.

A decisão com base num processo movido pelo Sindicato dos Servidores Públicos de Petrópolis foi tomada pela 2° Vara Cível do município.

O procurador Geral do Município, Marcus São Thiago, protocolou ontem (5/11) junto ao Juízo a documentação referente aos valores do 13º salário dos servidores, solicitada pela mesma. As informações, relativas ao pagamento da 1ª e da 2ª parcelas do abono, foram colhidas junto à administração direta e indireta.

“Estamos trabalhando muito para garantir os pagamentos aos servidores. Conseguimos quitar o mês de novembro dentro do prazo, mas infelizmente não conseguimos os recursos necessários ao pagamento do 13º salário. Nunca atrasamos o salário dos servidores e sempre pagamos o abono antecipadamente, mas neste ano a grave crise financeira nacional e a falência do Governo do Estado nos levaram ao limite”, lembrou o procurador, frisando que a situação de Petrópolis é conseqüência do caos no Rio de Janeiro e a maior prova disso é que quase todos os municípios fluminenses estão tendo as mesmas dificuldades. 

“Vários municípios começaram a parcelar salários ainda no meio do ano. Em Petrópolis isso só não aconteceu porque fomos responsáveis e cortamos na carne. Há mais de um ano estamos tomando duras medidas para conter os gastos. Foi isso que nos permitiu chegar até aqui. Fizemos e vamos continuar fazendo tudo o que estiver ao nosso alcance para assegurar os salários e o 13º dos servidores. Essas são nossas prioridades”, garantiu Marcus São Thiago.   

No final do dia, o Juízo da 4ª Vara, determinou o arresto dos valores informados pela Procuradoria nas contas da Prefeitura. “Tão logo se dê o bloqueio dos valores, a Prefeitura ficará responsável pela operacionalização do efetivo pagamento dos servidores junto à instituição financeira em que vêm recebendo mensalmente seus salários “Já estamos tomando todas as medidas necessárias para operacionalizar o pagamento”, finalizou o procurador.