PUBLICIDADE

Outono/Inverno: começa a preocupação com desastres de incêndios florestais



Com o objetivo de reduzir o número de focos de incêndios florestais nas áreas mais sensíveis da cidade e estabelecer um plano de ação para agilizar a resposta às ocorrências, começou a ser elaborado na última sexta-feira (20.04) o Plano Inverno de Petrópolis 2018. Organizado pela Secretaria de Defesa Civil e Ações Voluntárias, o plano conta com ações em dois eixos: humanitário e operacional. A principal novidade para esse ano será um calendário de ações em conjunto da Defesa Civil com órgãos ambientais nas áreas de maior índice de incêndios florestais do município, com o apoio de um drone.
“As ações preventivas são muito importantes em uma cidade com as características de Petrópolis. Todos os instrumentos devem ser usados para prevenir os incêndios florestais e é fundamental que todos os órgãos estejam preparados para atuar” pontua o prefeito Bernardo Rossi, lembrando que no ano passado o Plano Inverno trouxe bons resultados. “A implementação do Plano Inverno garantiu ao município em 2017 o prêmio de cidade resiliente, oferecido pela Organização das Nações Unidas (ONU), o que confirma que estamos no caminho certo”, destaca.
Dados do 15° Grupamento de Bombeiro Militar de Petrópolis comprovaram a eficácia do trabalho preventivo: em 2017 foram 126 casos de fogo em vegetação, contra 150 do ano anterior. O vice-prefeito Baninho participou do evento e destacou o reconhecimento internacional e espera que os resultados sejam ainda melhores em 2018.
"Os órgãos envolvidos já participaram do ano passado, então já estão articulados e organizados para atender a população. O trabalho antecipado da prefeitura ganhou reconhecimento internacional e trouxe resultado positivo, com a redução no número de casos de incêndios florestais", pontuou Baninho.
O secretário de Defesa Civil e Ações Voluntárias, coronel Paulo Renato Vaz, apresentou o balanço das operações realizadas em 2017 e anunciou as principais novidades para esse ano.
Neste ano será realizado um calendário de ações em conjunto dos agentes da Defesa Civil com órgãos ambientais nas áreas de maior índice de incêndios florestais do município. O trabalho conta com o apoio de dois drones que a prefeitura recebeu em janeiro do Ministério Público Estadual (MPE). A primeira atividade acontece no dia 26 de abril, às 10h, no Vale das Videiras, ao lado de uma equipe da Reserva Biológica Estadual de Araras (Rebio-Araras).
"O Vale das Videiras é bem próximo da nossa reserva e a gente acompanha de perto os incêndios florestais que acontecem naquela região. É uma das regiões com maior índice de queimadas aqui na cidade. Vai ser uma boa oportunidade para realizarmos um trabalho preventivo", garantiu a chefe da Rebio-Araras, Isabela Bernardes.
Assim como no ano passado, os órgãos participam de reuniões setoriais para a elaboração de planos de contingência com ações de resposta para os incêndios florestais e estiagem. Também serão elaboradoras matrizes de atividades e responsabilidades. “A escassez de água já atinge as grandes cidades do país. As queimadas dos últimos anos atingiram áreas de nascentes na nossa cidade. Precisamos preservar esses locais para que a população não sofra no futuro”, disse Paulo Renato.
Além do trabalho operacional e de resposta, estão previstas ações em conjunto com a Secretaria de Assistência Social dentro do eixo humanitário.
“O inverno em Petrópolis é bastante rigoroso. Pensando nisso, lançamos a campanha de recolhimento de agasalhos e conseguimos entregar mais de 2.300 peças no ano passado para instituições de caridade. Nossa ideia para 2018 é ultrapassar as três mil peças", disse o secretário, anunciando também que a Defesa Civil vai realizar uma campanha de doação de sangue e uma Festa Julina solidária.
Participaram do encontro desta sexta-feira representantes da Polícia Militar, Corpo de Bombeiros, Exército, Aeronáutica, Cruz Vermelha, SAMU, ROER, outros setores da prefeitura, órgãos ambientais e vereadores.

Comentários

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE